História de uma gata

Há três categorias de coisas na vida: as que a gente ama, as que a gente odeia e aquelas que tão no meio termo das extremidades e muitas vezes tendem ao bom e velho ‘tanto faz’. E até poucos meses, gatos ocupavam essa terceira categoria na minha vida. Não que eu tivesse algum motivo para não amar os bichanos, mas quando isso acontece à questão não é ter motivos para não amá-lo, mas a falta de motivos para amá-lo.

Diferente dos cachorros, por quem eu sempre tive uma queda – leia-se coração batendo forte – os gatos nunca despertaram nada de muito importante para mim. Mas como eu disse ali em cima, até pouco tempo atrás.

Isso tudo porque há poucos mais de dois meses um filhote apareceu na garagem, miando amedrontado, faminto e, como todo filhote assustado e perdido da mãe, morrendo de medo de qualquer ser humano que se atrevesse a chegar perto. O gatinho – que mais tarde eu iria descobrir que era uma gatinha – aceitou a muito custo uma afagadinha na cabeça. Depois de mais um tempo, e com meu jeitinho (mentira, foi o Diego) convencemos a gatinha a entrar em casa. E veja bem, todo meu conceito foi por terra.

Pouco mais de dois meses depois, tenho achado todo gato na rua a coisa mais linda do mundo. Dei leite para um filhote de gato que achei na Unesp (depois de brincar por quase meia hora com o pequeno), fico procurando nomes que combinem com a carinha dos gatos que encontro aleatoriamente, me interesso a saber as pequenas peculiaridade da espécie e aprendi alguns hábitos dos bichinhos. Mais importante de tudo: a gatinha, toda hora que entro em casa, está aqui me esperando e não demora muito para pular no meu colo, encostar a cabeça nas minhas pernas e dormir o sono dos justos.

Salvo raridades, nossa vida é uma eterna mudança de categorias.

Ps1: a gatinha chama Sophie, está bem mais gordinha do que quando a encontramos, tem mostrado sua felicidade destruindo todos os fios que existem na casa, e me faz mais feliz sempre que se enrosca nas minhas pernas.

Ps2: O nome do post não é à toa.

Sophie <3

Anúncios

2 pensamentos sobre “História de uma gata

  1. Poxa, foi uma coisa linda que você fez,sério! *-* porque se fosse outra pessoa indiferente a gatos, não faria a mesma coisa. :(
    Que bom que a Sophie agora tem um lar *-* Eu amo gatos, desde sempre ♥ Minha paixão é tanta que eu tenho 7 gatos aqui em casa ><
    Beeijos <3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s