Observações randômicas

Desde que voltei de São Paulo e o diário de bordo chegou ao fim, resolvi aproveitar os dias de férias que me restavam e não ligar muito pra nada. Sem preocupações com trabalho, horários, correria e afins, passei meus dias no mais perfeito descanso, curtindo tudo aos pouquinhos. Daí que esses pouquinhos foram bastante coisa no final das contas, e como faz um bom tempo que não dou o ar da graça por aqui, o post vai virar uma compilação randômica e fofa das coisas que me acompanharam e me divertiram nesses dias.

Enjoy.

 

Sobre filmes.

Há uma lista imensamente gigantesca de filmes que quero ver. Têm clássicos, têm estreias, tem comédia, tem terror, tem um pouquinho de tudo. O fato é que com o trabalho e com as constantes viagens que fiz durante as férias, não deu tempo de ver muita coisa. Salvo o hiato de uma pequena semana que tive em Leme e que me rendeu momentos cinéfilos, consegui assistir três dos filmes que queria nesses últimos dias e to com o terceiro já aqui de ladinho pronto pra ser visto durante a semana.

“A ilha do medo” foi uma enorme surpresa. Eu já havia escutado falar do filme, claro, (muita gente tinha se surpreendido com a boa atuação de Leonardo DiCaprio) mas não conhecia nem a sinopse quando fui assistir. E tchan tchan tchan, fiquei num estado de pânico-ansiedade tudo junto&misturado enquanto via as cenas rolando na telinha. E não foi apenas o enredo fantástico, mas adorei o final genial que tem no longa – que obviamente eu não vou contar pra não estragar a surpresa de quem ainda não viu.
Eu adoro filme de suspense/terror, é um dos meus temas preferidos, e já coloquei esse na minha lista (sim, outra!) de melhores. Um dos poucos que não tem assassinatos em série ou fantasmas na trama pra te fazer acreditar que sim, você está vendo um filme de suspense/terror.

“Inception“, ou “A Origem” como foi traduzido para  português, também tem Leonardo DiCaprio no elenco, mas eu juro que é pura coincidência, gente!
O fato é que o filme foi um dos mais falados em 2010 e mesmo não sendo uma caçadora de hypes eu tava com vontade de assistir. A trama é uma loucura, você pisca e tem a impressão que já não sabe mais o que tá acontecendo. Demora um pouco pra você se situar na história e, mesmo assim, tem várias passagens em que você pensa “ah, posso ver de novo?”. Pra mim é um filme um tanto quanto genial e que faz valer a pena cada minuto passado com sua história.

“Black Swan”, ah, “Black Swan”! Podem colocar vários clichés aqui, mas ninguém pode negar que é um belíssimo filme. Vi uma matéria em algum blog ontem (que infelizmente não me recordo o nome pra dar os devidos créditos), dizendo que a genialidade do filme não era devido a Natalie Portman, mas sim a Darren Aronofsky, diretor do longa. Eu discordo. Acho que a genialidade aqui não compete apenas a uma pessoa. O diretor tem todos os créditos para a beleza do filme, tem com toda certeza a maior parte e a maior parabenização pelo resultado, mas me pergunto se uma pífia interpretação de Natalie Portman não transformaria o filme numa história dramática mais do mesmo. Um cisne negro dentro de um cisne branco foi feito com beleza, doçura, ódio, paranoia e paixão pela atriz. Acho que ambos merecem os devidos créditos.

Aguardando pra ser visto, dessa vez um clássico! Roman Holiday, traduzido como a Princesa e o Plebeu para o português, com a fofa da Audrey Hepburn. (E, se tudo der certo, seus filmes vão virar post lá no Mode Fabuleux).

Sobre pequenas coisas.

A mudança finalmente saiu. Depois de problemas com o correio, depois de problemas pra pegar a chave, de pois de um dramalhão mexicano, tudo deu certo e o apartamento já está devidamente limpo e com cara nova. Tudo bem que mobília seja outra história….

O fato é que com a mudança acabei fazendo uma limpeza geral nas coisas do quarto. Papeis velhos, roupas abandonados no fundo do armário; essa mania de guardar tudo que se vê pela frente e depois nem lembrar mais de onde veio a tal coisinha. Mas, além de jogar um batalhão de coisas fora, também achei duas muito especiais. Uma é esse caderninho fofo que eu usava para anotar livros, filmes, dicas, qualquer coisa bacana que surgisse e eu gostasse. Não via o bendito há muito tempo e já tinha achado que tinha sido esquecido em algum canto por aí. Boa surpresa reencontrar o caderninho, que no momento já se encontra devidamente guardado dentro da bolsa :)

A outra coisa trouxe uma recordação boa…
Pra quem tá sonhando em fazer teatro há um bom tempo, lembrei que já me arrisquei no mesmo uma certa vez, lá em 2009 numa peça da faculdade (sim, da faculdade) sobre Oswald de Andrade. O que encontrei foi nada mais nada menos do que o roteiro da peça. No vídeo (por favor não liguem pra minha nada vocação pra atriz, apesar de gostar de teatro)  não tem a entrada da peça, infelizmente, que eu adoro.

Além de tudo isso, domingo fui na feirinha do Vitória Régia, e quer lugar melhor pra achar coisas fofas do que lá? Voltei com um brigadeiro branco maravilha dentro do estômago e um caderno (sim, outro!) de cupcake.

Sobre brechós.

Essa semana conheci o brechó Extinção aqui de Bauru, indicação do Mola. Aliás, foi depois de uma conversa com ele sobre a não importância que brasileiros dão pra brechó que comecei a pensar mais no assunto. Quem sabe isso ainda renda um post.. .

Sobre livros.

Depois de ler “O Evangelho de Coco Chanel” e com uma lista bem grande de livros a serem devorados, resolvi dar um tempo nos livros de moda e me arriscar numa série que há tempos tava aqui em casa, emprestados da Fernanda Angelino. “As Brumas de Avalon” de Marion Zimmer Bradley é uma série clássica, mas que eu tinha em defasagem nas minhas leituras. Os quatro livros da série – A Senhora da Magia, A Grande Rainha, O Gamo-Rei e O Prisioneiro da Árvore – estão aqui na estante, e no momento que escrevo já estou na leitura do segundo, que pra muita gente é o melhor dos quatro. Em comparação ao primeiro eu concordo, e acho que isso tem a ver com o fato de que ele é bem mais dinâmico e empolgante (o primeiro é bom também, mas bem mais descritivo e com uma narrativa mais lenta).

Sobre blogs

Acabei de estrear no blog da A Lagarta, com um post sobre o Banksy, o grafiteiro britânico, e sua estreia no cinema que, inclusive, tá concorrendo como melhor documentário no Oscar.
Tem matéria sobre o Ronaldo Fraga no SPFW, lá no À Moda da Casa, tem matéria no Estilo em Claquete  sobre a inspiração que algumas marcas encontraram no cinema pra fazer suas coleções de inverno 2011 no Fashion Rio, e tem matéria sobre o livro “O Evangelho de Coco Chanel” lá no Mode Fabuleux.

E, por falar em blogs, a partir dessa semana o In Wonderland passa a fazer parte do Paper Blog, à convite da Margarida, responsável de comunicação do portal. O Paper Blog mostra as atualizações de vários blogs das mais diversas áreas, de forma a integrar tudo num lugar só.

Por ora é isso. Logo mais eu volto com mais posts randômicos.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Observações randômicas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s