Um novo lar

Teve uma época – ainda quando a Unesp, Bauru e toda minha vida de agora era um lugar bem distante – que eu me imaginava morando sozinha.Por mais que minha mãe sempre brincasse com o fato da minha inexperiência na cozinha, com minha bagunça organizada, com minhas manias mil dentro de casa, eu sempre achei que morar sozinha devia ser uma experiência e tanto.Meu primeiro ano de cidade-lanche me mostrou que uma república tem, e muitas, coisas pra te fazer aprender. Se eu pudesse definir 2009 apenas com uma palavra – apesar de achar que esse tipo de definição fica um tanto quanto pequena demais – tenho certeza que mudanças seria um resumo quase que literal de tudo que aconteceu. Mudanças não só geográficas, mas mudanças de costumes, regras de convivência, posturas, visões de mundo. Relembrar 2009 é bom e estranho ao mesmo tempo. Bom porque foi um ano que me fez ver que havia um mundo tão vasto lá fora pra se aproveitar que é preciso mesmo se libertar de algumas coisas do passado, alguma idéias tão pequenas de mundo. Estranho porque o ano passado tá logo ali, virando na esquina da nossa mente e, mesmo assim, parece um passado já tão distante, uma história tão antiga que nem faz mais parte do contexto.E 2010 veio com todas suas descobertas. Descobertas na profissão, na vida pessoal mas, principalmente descobertas do meu eu, da minha essência. Acho que me conheci muito em 2010. Não é nada perto do que ainda tenho pra me conhecer em vida – e até porque ninguém se conhece 100% – mas ainda assim foi um ano mágico, um ano que me mostrou que eu posso e consigo caminhar sozinha. E morar sozinha voltou aos planos.Não que seja uma coisa delirante do tipo ‘vou ganhar liberdade’. Primeiro porque liberdade não se ganha, se conquista, e segundo porque minha visão de liberdade não faz referência a quantidade de pessoas que você mora ou o quanto é ‘desligada’ de sua família. Acho que liberdade tem um gosto de desafio, de caminhar sobre próprias pernas, mas de saber que sua família e amigos são sustentáculos para sua base.

Liberdade não é estar sozinha.

E também não acho que morar sozinha vai me trazer mais ou menos liberdade…isso é algo que venho consquistando aos poucos. Trabalho, estudo, pago minhas contas, compro meus livros, me cuido, tomo iniciciativas, estou descobrindo meus limites. Meus pais me ajudam em tudo, assim como meus amigos e meu namorado, e isso só me mostra que ter pessoas em quem confiar e amar e ter o apoio delas quando necessário é tudo que preciso pra seguir por esse caminho.

E a buca pelo novo lar começou!Provavelmente só em janeiro poderei curtir cada cantinho do novo lugar, decorar do meu jeito, botar as coisas na minha ‘bagunça ogranizada’, como diria minha mãe.Mas que seja mais uma experiência enriquecedora e que seja o prenúncio de que 2011 vai ser lindo.

Além de tudo esse post é para pedir sugestões, dicas e opiniões para quem mora ou já morou sozinha.

Porque o aprendizado vai ser longo, mas espero que delicioso.

Anúncios

8 pensamentos sobre “Um novo lar

  1. Nusssssssssss.. adoreiiii e me emocioneiii!!!!
    2010 foi incrivel pra mim tb! Me lembrei de mtas coisas q aconteceram esse ano na minha vida!
    Adorei seu post!
    Serio!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s